Estagflação: estamos a caminho desse processo?

O aumento da inflação é, atualmente, uma das principais preocupações mundiais. Com isso, para tentar conter o processo inflacionário, diversos Bancos Centrais iniciaram o processo de aumento de taxa de juros que deve perdurar ao longo de 2022. Com taxa de juros maiores, há menos consumo e menos investimentos e há o risco de uma desaceleração da atividade econômica a partir do 2º semestre. Mas será que o mundo corre o risco de viver uma Estagflação? Para entender se essa é uma possibilidade, primeiro vamos entender o que significa esse conceito.

O que é estagflação? 

A expressão estagflação é a junção de duas palavras “estagnação” e “inflação”. Assim, isso ocorre em uma economia quando ela apresenta alta de preços em meio a uma atividade com fraco desempenho. É um evento incomum, pois, normalmente, períodos de inflação mais alta são acompanhados por atividade econômica mais acelerada. Atualmente, a expressão está em alta já que estamos observando inflação elevada no mundo todo, ao mesmo tempo em que se espera desaceleração da atividade econômica a partir do segundo semestre do ano. 

Inflação: a principal preocupação mundial.

Ao analisarmos os dados de inflação de diversas localidades, percebemos que a maior parte dos países está com a inflação ao consumidor acumulada em 12 meses acima das metas estipuladas pelos Bancos Centrais. Os dados são negativos, pois a inflação elevada corrói o poder de compra da população e causa instabilidade em decisões de consumo e de investimento. 

Inflação no mundo
Inflação no Mundo – Fonte: BBG. Elaboração: SOMMA Investimentos

Como consequência, os principais Bancos Centrais começaram o seu processo de elevação de juros – principal mecanismo utilizado para conter a alta de preços. No entanto, a expectativa é de que, mesmo assim, a inflação termine o ano acima da meta em diversas localidades. Nos Estados Unidos ela deve terminar 2022 em 7,5% a.a., enquanto na Zona do Euro a alta dos preços deve fechar o ano em 7,1% a.a. Ambos os valores estão bem acima da meta de inflação desses lugares que é ao redor de 2,0% a.a.

Até onde os juros devem subir?

Apesar de já terem iniciado o processo de aumento de juros, as taxas devem continuar subindo ao longo ano e no início de 2023. Nos EUA a previsão é de que a taxa de juros chegue 3,45% a.a. – segundo mediana do mercado – enquanto alguns analistas já indicam taxa de juros em 4,0% a.a. no ano que vem. Na Zona do Euro, o processo deve ser semelhante, com a taxa de juros chegando a 2,80% a.a. A exceção do Japão e da China, todos os países devem levar as suas taxas a patamares contracionistas, ou seja, a patamares que desestimulem a atividade econômica. 

Política Monetária
Política Monetária: taxas de juros atual vs. expectativas para 2022. Fonte: BBG. Elaboração: SOMMA Investimentos

Inflação Vs Atividade Econômica

Segundo o observado, as taxas de juros nas principais economias devem chegar em patamares contracionistas ainda no final deste ano. Isso significa que ficará mais caro para consumidores e investidores adquirirem crédito para consumo e investimento e espera-se que haja uma redução da demanda. Consequentemente, deve haver redução da atividade econômica. No entanto, conforme pode-se perceber abaixo, as projeções para as economias nesse ano ainda são positivas. Os EUA devem crescer 2,6% patamar semelhante à Zona do Euro.

Projeções de Crescimento
Projeções de Crescimento. Fonte: BBG. Elaboração: SOMMA Investimentos

No entanto, um aspecto relevante de ser notado é que a política monetária – taxas de juros mais elevadas – agem, principalmente, sobre a inflação de demanda. Assim, mesmo com as taxas mais elevadas o processo inflacionário pode continuar. Caso novas restrições contra a Covid-19 sejam implementadas na China ou caso o conflito no Leste Europeu se prolongue, interrupções nas cadeias produtivas globais podem prosseguir e isso pode continuar pressionando os preços ao mesmo tempo em que há desaceleração da atividade. É por isso, que há um receio de que ocorra a chamada estagflação. 

Apesar disso, dados da The Ismaili Canada indicam que não é sempre que ocorre um aumento rápido de juros que ocorre recessão. Um estudo mostrado por eles indica que desde 1960 ocorreram, nos EUA, 8 ciclos econômicos com aumento de juros maior de 200 bps e que apenas 4 deles (50%) resultaram em recessão no período de 2 anos. Já para o grupo do G7 como um todo, essa probabilidade é de 43%. 

Cycle of interest rate increases of over 200bp
Cycle of interest rate increases of over 200bp. Fonte: The Ismaili Canada

Conclui-se, então, que há chance de vivenciarmos estagflação, apesar de ela ser pouco provável. Isso acontece pois, de fato, devemos ter uma desaceleração da atividade econômica mundial, apesar de não necessariamente termos uma recessão. As chances de estagflação aumentam à medida em que as interrupções nas cadeias globais de produção permaneçam por mais tempo. 

Compartilhe nas mídias

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
plugins premium WordPress