Minicontratos de futuros: saiba o que é e como investir

Em um de nossos posts anteriores falamos sobre derivativos. Explicamos o que eles são e quais os motivos para a utilização desses instrumentos financeiros. Explicamos, também, que existem 4 tipos mais comuns de derivativos: contratos a termos, contratos futuros, opções e swap. Hoje, falaremos sobre os minicontratos futuros, uma ótima oportunidade para investidores com pouco capital.

 

O que são minicontratos de futuros?

Minicontratos de futuros são ferramentas da B3 para aumentar o acesso dos investidores ao mercado de contratos futuros que, em muitos casos, podem ser inacessíveis para o investidor pessoa física em virtude de seu elevado valor financeiro.

Os minicontratos de Ibovespa (WIN) e de Dólar (WDO) possuem a mesma característica de redução, 1/5 do valor do contrato cheio. Ambos apresentam as mesmas vantagens dos contratos cheios (hedge e alavancagem), porém com uma vantagem adicional de maior volume de contratos negociados.

Essa característica de maior liquidez, fez com que os minicontratos caíssem na graça dos investidores Pessoa Física no ano de 2020 (responsáveis por 34% do mercado de WDO e 41% do mercado de WIN em dezembro de 2020, segundo a B3), saindo da casa de 50 bilhões de volume diário de negociação para 150 bilhões.

Minicontratos de futuros
Figura 1: Mini-contrato de Futuro de Dólar. Fonte: B3. Elaboração: SOMMA Investimentos

Com relação ao vencimento, os contratos de mini índice possuem vencimento nos meses pares do ano, enquanto os contratos de mini dólar possuem vencimento em todos os meses do ano. Já no que tange à liquidação, ambos contratos possuem apenas liquidação financeira, ou seja, não é necessária uma transferência de dólar em espécie no fim do período, por exemplo.

 

Riscos dos minicontratos

É importante ressaltar, entretanto, que os minicontratos possuem os mesmos riscos dos contratos cheios. Os principais são: o risco de mercado (a oscilação do valor do contrato) e o risco de alteração de margem, onde a corretora tem liberdade para encerrar a operação do investidor caso ele não tenha financeiro para honrar a chamada de margem, a qual pode ser feita em um momento inoportuno para o investidor.

Por fim, a maneira mais comum para investir nesse tipo de ativo é através de plataformas de investimentos oferecidas pelas corretoras, algumas de maneira gratuita. Para solicitar um acesso ou investir de outra forma, o ideal é entrar em contato com sua corretora ou seu agente de investimentos.

SOMMA Investimentos

Compartilhe nas mídias

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp
plugins premium WordPress